A divulgação do conhecimento Psi

Foi pensando em criar textos para a comunidade leiga que surgiu a ideia deste blog sobre a psicologia, hospedado no Centro Universitário de Brusque, procurando trazer conhecimento científico atual, cumprindo com um dos pilares éticos e sociais da ciência: divulgar o conhecimento para que toda a comunidade possa se beneficiar do avanço científico. Essa questão ética perpassa todos os tipos de conhecimentos, e muitos deles vêm impactanto a sociedade, sem que ela os conheça ou entenda como eles são produzidos, conforme fala do Professor Quilfeldt¹.

A divulgação do conhecimento na psicologia é ainda mais precário, poucos sites estão dispostos a divulgar conhecimento atual. Muitos sãos os sites com desinformações, posições mais ideológicas do que científicas e simples absurdos provenientes de convicções pessoais. A própria cultura popular não traz muita contribuição já que o conhecimento popular é muitas vezes contrário ao que se descobre na ciência, quando ele mesmo não se contradiz. Por fim, pouco se sabe da aplicação desse conhecimento na sociedade.

A tecnologia² proveniente dessa ciência não é amplamente utilizada, mas poderia, e não significa que algumas tecnologias conhecidas não estejam em vigor mesmo sem que os criadores o saibam (vide comerciais em geral). Conforme conhecemos, o ser humano só se permite ser controlado enquanto não sabe ou não tem conhecimento do que [ou de quem] o está controlando³. Logo é interessante a todo cidadão conheça os mecanismos pelos quais opera para que não se deixe levar, como na música de Zeca Pagodinho…

Neste sentido, é possível, por meio da academia, divulgar o conhecimento mais atual que temos, considerando que o ensino superior é onde o conhecimento é transmitido e produzido4. É dever do psicólogo divulgar para o máximo de pessoas o conhecimento de qualidade para que a sociedade não caia vítima de más práticas tanto psicológicas quanto pseudo-psicológicas (ou conhecimentos ainda mais oportunistas) que existem espalhados por aí.

Atualmente estuda-se e revisa-se cada vez mais as práticas psicológicas com curiosidade científica. Em 2012, Nosek5 divulgou que poucos estudos na psicologia eram replicados. Esse foi um momento especial para o crescimento da psicologia como ciência, já que a replicabilidade de um estudo científico é o que sustenta sua validade, ou seja, o conhecimento precisa passar em testes para ver o quanto ele se mantém. Assim podemos separar os fatos dos vieses de pesquisador e de publicação.

É claro que não basta conhecer os fatos relacionados ao conhecimento científico, mas sim como esse conhecimento é produzido, pois mais importante que conhecer é saber detectar os conhecimentos construídos com qualidade. Nesse sentido, vale inclusive ver o vídeo do Pirula6 sobre a desculpa do entretenimento, no qual ele traz uma nova visão para a divulgação científica.

Por esse motivo, os textos aqui presentes buscarão apresentar como exemplo, processos de conhecimento produzidos por acadêmicos. De forma sucinta e acessível desvendar um pouco do processo do conhecer que se faz dia-a-dia na academia, bem como trazer informações valiosas.

Essas informações podem ser utilizadas para que qualquer leitor tenha um pouco mais de percepção sobre sua condição humana, seus comportamentos, pensamentos e relacionamentos, tornando-os mais saudáveis na medida do possível. Também servirá como um exercício de cidadania para os acadêmicos e futuros psicólogos que serão responsáveis por divulgar conhecimento de qualidade.

 

Alguns links interessantes:

  1. Vídeo do Professor Jorge Quillfeldt no congresso da Liga Humanista Secular: http://www.bulevoador.com.br/2015/03/ciencia-e-humanismo/
  2. Entende-se por tecnologia tudo aquilo que é desenvolvido com base em conhecimento produzido previamente, criando uma sistematização de uso. Em ciências humanas, as tecnologias geralmente são ações planejadas.
  3. SLATER, L. Mente e Cérebro: Dez experiências impressionantes sobre o comportamento humano. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.
  4. MARTURANO, Edna Maria; SILVARES, Edwiges Ferreira de Mattos; OLIVEIRA, Margareth da Silva. Serviços-escola de psicologia: seu lugar no circuito de permuta do conhecimento. Temas em psicologia,  Ribeirão Preto ,  v. 22, n. 2, p. 457-470, dez.  2014 . Disponível: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2014000200016
  5. Entrevista com Brian Nosek sobre a replicabilidade na psicologia (em português) http://scienceblogs.com.br/socialmente/2012/06/psicologia-acordando-para-ciencia-aberta/
  6. Vídeo do Pirula sobre “A desculpa do entretenimento”: https://www.youtube.com/watch?v=PtFd97xm3gE

2 thoughts on “A divulgação do conhecimento Psi”

  1. Gostei muito da proposta de vocês, parabéns pela iniciativa. Como Psicóloga, sei da importância de sites e blogs que possuem ideias como as de vocês, de abordarem assuntos relacionados ao mundo Psi, com o intuito de nos abastecer de informações úteis e atuais. Parabéns pela iniciativa!
    Pensando como vocês em assuntos importantes, criei o site https://ativapsicologia.com.br, onde além de trazer dicas para o dia-a-dia, falo sobre assuntos relacionados a psicologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *